-
18-01-2019

O Rio é Capital Mundial da Arquitectura. O título foi concedido pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) na manhã desta sexta, 18 de janeiro, numa cerimónia realizada na sede da entidade em Paris e é decorrente da realização do Congresso Mundial de Arquitetos no Rio em 2020. É a primeira vez que uma cidade recebe essa designação – criada no ano passado em parceria entre a UNESCO e a União Internacional dos Arquitectos (UIA). A cerimónia contou com a presença do subdiretor geral de Cultura da UNESCO, Ernesto Ottone, a Secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação do Rio, Verena Andreatta, o presidente da UIA Thomas Vonier, além do presidente do Comité Executivo do Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio, Sérgio Magalhães, e do presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil, Nivaldo Andrade.

-
16-01-2019

O Ministério da Cultura e do Turismo do Azerbaijão e a União dos Arquitectos Azerbaijão (UAA) anunciam o lançamento da quarta edição do Prémio Internacional de Arquitectura de Baku.

Realizado de dois em dois anos tem como objectivo destacar a diversidade arquitectónica e o surgimento de novas ideias nesta área.

Por recomendação da União Internacional de Arquitectos (UIA), esta quarta edição será realizada em conjunto com o Fórum Internacional da UIA cujo tema será “Turismo em Massa nas Cidades Históricas”.

O principal objectivo é reconhecer projectos que exemplifiquem excelentes práticas de projecto e planeamento, bem como projecto e desenvolvimento para o turismo em locais de importância histórica e patrimonial. Podendo incluir novas acomodações para turistas, locais de importância histórica e a reconstrução de edifícios existentes para fins relacionados com o turismo.

-
07-01-2019

Voluntários de Angola prestam assistência técnica em projetos habitacionais do DF
O arquiteto angolano Bernardo Paulo Minargo, de 42 anos, sonha em transformar Prenda, o bairro onde mora em Angola, no melhor lugar do mundo.

Voluntário do Programa de Assistência Técnica em Arquitetura e Urbanismo, da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), o estrangeiro buscou em Brasília inspiração: “Estar aqui foi a coisa mais maravilhosa que já me aconteceu”, detalha.

A visita faz parte do convênio assinado em junho de 2016 pelo governo de Brasília com o Conselho Internacional de Arquitetos da Língua Portuguesa.

Em 6 de agosto, quatro angolanos chegaram à cidade para prestar assistência técnica em projetos habitacionais. Eles formaram a segunda turma da iniciativa, que oferece trabalho de voluntário para melhorar a vida dezenas de famílias de baixa renda em regiões como Ceilândia e Estrutural.

Minargo afirma que a experiência vai garantir que coloque seu sonho em prática quando voltar para casa, em 20 de dezembro. “Vou criar uma cidade mais bonita do que Brasília. Não vão ficar enciumados”, brinca.

Teresa Gonçalves Viage, de 31 anos, arquiteta desde 2016, teve a primeira oportunidade de trabalhar na área e observou: “A regularização fundiária daqui funciona de uma maneira que ainda não conhecemos na Angola. É muito importante aprender isso”.

Os voluntários são selecionados pelo conselho internacional e responsáveis pelos custos da viagem. O governo ajuda com locais para hospedagem, que são da Codhab, mobiliados com móveis cedidos pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis).

Voluntários acompanham obras

“Aprendi que um simples reboco pode mudar a vida de uma família inteira”, resume o voluntário do Na Medida, Edvanio Avelino Sebastião, de 28 anos.

O programa é um dos eixos do Habita Brasília, que prevê a famílias de baixa renda serviço de assistência técnica gratuita, com a concepção de projeto e obras de melhoria habitacional.

Segundo ele, a experiência foi diferente de tudo o que já tinha praticado dentro da profissão na Angola. “Aqui entendi qual a real função do arquiteto. Trabalhar por quem precisa”.

Coordenados por um especialista da Codhab, os estrangeiros promovem melhoras nas residências, como a falta de iluminação e ventilação natural, reboco e outros reparos.

De acordo com o arquiteto da companhia, Leandro Fernandes, o trabalho promove troca de conhecimentos e auxilia na melhoria e agilidade do serviço prestado à população. “Os visitantes trazem outra vivência, que ainda não tínhamos tido aqui.”
O programa assistencial Na Medida

O programa assistencial voltado para pessoas de baixa renda é novidade no Brasil, apesar de estar previsto na Lei Federal nº 11.888, de 2008.

No DF, ele começou a ser implementado pelo Sol Nascente, em 2015, onde são feitas obras de infraestrutura para regularização do espaço.

O Na Medida já atendeu 260 famílias de baixa renda e beneficiou 1,4 mil pessoas desde que começou a funcionar.

O benefício, que antes poderia chegar a R$ 13,5 mil, passa a ser de até R$ 15 mil. O recurso é da Codhab e utilizado para custear o projeto, o material de construção e a obra — sempre com foco em aspectos de salubridade, acessibilidade e segurança.

“Nós mudamos a política habitacional da companhia. Hoje atendemos um índice qualitativo, que analisa a precariedade das casas de quem precisa”, define a coordenadora do Melhorias Habitacionais da companhia, Sandra Marinho. O convênio entre o governo de Brasília e o Conselho Internacional de Arquitetos da Língua Portuguesa termina no fim de 2019.

-
19-12-2018

O CIALP deseja Boas Festas e um Feliz Ano Novo a todas as suas organizações membros e a todos os colaboradores, parceiros e amigos que durante este ano nos acompanharam. Agradecemos a confiança depositada no nosso empenho diário na potencialização das relações de colaboração recíprocas entre os diferentes Países e Territórios no que diz respeito à Arquitectura e ao exercício da profissão de arquitecto; na promoção e melhoria da Arquitectura e das condições para o exercício da profissão de arquitecto em todos os Países e Territórios que integram o CIALP; na procura através da Arquitectura, do desenvolvimento cultural, científico, tecnológico e económico dos diferentes Países e Territórios; e na protecção, salvaguarda, valorização do Património Arquitectónico nos diferentes Países e Territórios, objectivos deste Conselho Directivo que muito tentámos alcançar com a ajuda e colaboração de todos, desejando um ano cheio de sucessos pessoais e profissionais para todos.

-
03-12-2018

A UNESCO e a União Internacional dos Arquitectos (UIA) lançam a iniciativa para associar a UNESCO à designação das cidades-sede do Congresso Mundial da UIA como Capitais mundiais da arquitectura. O Diretor-Geral Adjunto para a Cultura da UNESCO, Ernesto Ottone R., e o Presidente da UIA, Thomas Vonier, assinaram um Memorando de Entendimento, em Paris, para fortalecer a cooperação entre as duas organizações, que remonta a 1956.

"A associação da UNESCO com a iniciativa Capital Mundial da Arquitectura da UIA marca um novo passo na nossa longa parceria. O objectivo é criar novas sinergias entre cultura e arquitectura num mundo cada vez mais urbano, em que as cidades são centros de ideias, comércio, cultura , ciência e desenvolvimento social em particular. Com esta iniciativa, nossa ambição é garantir que essas cidades também sejam entendidas como espaços abertos e criativos de troca, ciração e inovação ", disse Ernesto Ottone R.
Assim, a primeira Capital Mundial da Arquitectura terá sede no Rio de Janeiro em 2020, por altura da realização do Congresso Mundial da Arquitectura UIA2020RIO.

-
31-10-2018

O convite foi feito em Portugal por Nivaldo Andrade, presidente nacional do Instituto dos Arquitectos do Brasil. Com obras de grande destaque nos quatro cantos do mundo - inclusive no Brasil onde projetou a Fundação Iberê Camargo, em 2008, em Porto Alegre - Siza tem uma relação muito próxima com a arquitectura brasileira.

O Comité de Honra do Congresso Mundial refere que é muito importante ter um nome desta relevância, pois, de acordo com Nivaldo Andrade, Siza fala a nossa língua e tem uma intensa relação com a nossa arquitectura, especialmente a modernista, que tem uma grande influência em seu trabalho. Siza Vieira lembrou com muito carinho seus contactos com a arquitectura brasileira desde o tempo de escola - quando Fernando Távora lhe apresentou a arquitectura modernista do Brasil - até as palestras de Lucio Costa e Niemeyer que participou em Portugal e os contatos com Paulo Mendes da Rocha.

O Comité de Honra do Congresso UIA2020RIO reúne nomes de cultura e arquitectura que podem trazer contribuição relevante para as questões a serem debatidas no evento de 2020. Além de Álvaro Siza Vieira e Paulo Mendes da Rocha, outros membros do comité são: Jaime Lerner, arquiteto - o único presidente brasileiro da UIA de todos os tempos; o cantor e ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil - que há 40 anos iniciou o debate sobre as favelas através do hit Refavelas; e Marisa Moreira Salles - editora especializada em arquitectura e fundadora do evento e portal Arq.Futuro, que traz importantes debates sobre planeamento urbano e cidades. Outros membros serão anunciados.

- -