Maputo | José Forjaz, Membro Honorário Extraordinário do CIALP
09-02-2018

O Arq. José Forjaz aceitou receber o Título de Membro Honorário Extraordinário do CIALP.
No seu Regulamento de Membros e Parceiros, aprovado em 2013, prevê-se a existência de Membros Honorários Extraordinários, ou seja, pessoas singulares ou colectivas que o CIALP decida distinguir em razão de importantes contribuições no âmbito dos seus objecto e objectivos, designadamente pela exemplaridade do seu desempenho profissional e, enquanto tal, por serviços destacados ao bem comum. Em regra, esta atribuição acontece em cada ano e limita-se a uma única pessoa.

Neste sentido e no âmbito da organização do XXI Encontro do CIALP, a realizar-se em Maputo, o Conselho Directivo do CIALP, decidiu outorgar o título de Membro Honorário Extraordinário ao Arq. José Forjaz que muito honradamente aceitou receber esta homenagem do CIALP.
Assim, o Arq. José Forjaz juntar-se-á aos dois anteriores honrosos homenageados, os Arquitetos Paulo Mendes da Rocha (2014) e Charles Correa (2015).

José Forjaz (Coimbra, 1936)
Diplomado em Arquitectura pela ESBAP em 1966, especializou-se na Universidade de Columbia em 1968. Entre 1961 e 1963, ingressou na Federação das Caixas de Previdência e três anos depois colaborou no atelier de Francisco Conceição Silva Dias e Maurício de Vasconcellos. Em 1968, estabelece-se na Swazilândia, instalando-se depois em Moçambique, em 1975. Depois da Independência, torna-se consultor do Ministério das Obras Públicas para as áreas de planeamento e habitação (1975-79). Entre 1977 e 1983 é Director Nacional de Habitação, responsável pelo Planeamento Urbano e Regional. Ocupou diversos cargos públicos, tendo sido membros do Parlamento de 1977 a 1986. Dirige a Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da Universidade Eduardo Mondlane desde 1990 e é “Visiting Professor” em universidades estrangeiras. O monumento Mbuzini (1998-99) é um dos seus projectos mais emblemáticos. Possuiu uma vasta obra construída em Moçambique, da qual se destaca em Maputo: o Instituto Missionário da Consolata (1992-2000), o Auditório e a Capela para a CIRM Conferemo – Instituto Superior Maria Mãe de África (2000-03), as Casas Torcato (1999-2003) e Paulino (2003) e o Condomínio “Caracol ” (2004).

*